Três campanhas do TJRN são finalistas do Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça

Publicado em Quarta, 02 Outubro 2013 17:20

A Secretaria de Comunicação Social (Secoms) do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte está entre as finalistas em três categorias do 11º Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça 2013, cujos vencedores serão conhecidos no dia 11 de outubro, em São Paulo, durante solenidade de encerramento do 9º Congresso Brasileiro dos Assessores de Comunicação da Justiça. A Secretaria de Comunicação havia inscrito cinco trabalhos – número máximo permitido – dos quais três foram selecionados. Ao todo, são 20 categorias, entre elas Jornal, Revista, Endomarketing, Conteúdo Web e Projeto Institucional.

O TJRN concorrerá nas categorias Campanha de Comunicação Institucional, com o trabalho “Campanha de Comunicação para a Residência Judicial”; Endomarketing, com a campanha “Vire o jogo!”; e Projeto Institucional, com o desenvolvimento da comunicação do programa “Expresso Judiciário”. O Tribunal de Justiça potiguar é um dos que têm o maior número de trabalhos inscritos. É a primeira vez que campanhas de comunicação do TJRN ficam entre as finalistas do prêmio nacional.

Todo o desenvolvimento das campanhas do Poder Judiciário Estadual, desde a concepção de logomarcas até a confecção de cartazes, banners e hotsites, entre outras peças, é feito pelos servidores da Secretaria de Comunicação. “Estar entre os finalistas do prêmio, ao lado de tribunais de grande porte como o de São Paulo e do Rio Grande do Sul, mostra que temos realizado um trabalho de alto nível”, destaca a secretária de Comunicação, Juliska Azevedo. Para ela, a seleção para o prêmio é reflexo da prioridade que a gestão do Tribunal tem dado à área de comunicação e do trabalho profissional desenvolvido pela equipe.

Lançado em 2003, o Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça visa contribuir para o aperfeiçoamento dos produtos e serviços das assessorias de Comunicação a partir do destaque de experiências bem sucedidas na área, reconhecendo e valorizando as práticas destinadas ao desenvolvimento da cidadania, à democratização das informações institucionais e à inclusão social, além de difundir pesquisas científicas e trabalhos acadêmicos com foco na comunicação pública.