Magistrado sugere construção de Ceduc metropolitano

Ao abordar o problema da reincidência na prática de atos infracionais por adolescentes, o juiz Homero Lechner, que responde atualmente pelas 1ª e 3ª Varas da Infância e da Juventude de Natal, apontou a construção de um novo Centro Educacional, na região metropolitana de Natal, como uma das saídas para a crise que envolve esses equipamentos no Estado, voltados para a ressocialização de crianças e adolescentes autores de atos infracionais.

Para ele, o cenário permanece preocupante e a avaliação dos juízes que integram as Varas da Infância e da Juventude de Natal, aponta para uma falta de estrutura física voltada à internação, provisória ou permanente.

Segundo o magistrado, seriam necessárias, pelo menos, novas 140 vagas, que dariam para suprir a necessidade até os próximos cinco anos. Uma disponibilidade que aconteceria se fosse concluída também a reforma do Ceduc Pitimbú, que foi alvo de várias interferências do Poder Judiciário potiguar, por meio do Ministério Público de Parnamirim e através de sentenças da juíza Ilná Rosado.

“Mas, nenhuma coisa nem outra acontece. O Estado amplia a impunidade”, enfatiza Lechner, também apontou a reincidência em atos infracionais como umas das principais consequências da falta de estrutura física.

No entanto, o magistrado ainda acrescenta a falta de material pedagógico e a falta de uma equipe multidisciplinar que favoreça o trabalho de ressocialização. “É um conjunto de problemas, que não vemos sinais de que serão resolvidas em curto prazo”, lamenta o juiz.

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte - Praça Sete de Setembro, nº 34, Cidade Alta, Natal/RN, CEP 59025-300 - (84) 3616-6200