Pesquisa mostra satisfação de usuários com serviços do Juizado Especial Central

Alunos da disciplina de Estatística, do Centro Universitário do Rio Grande do Norte (UNI-RN) realizaram um trabalho de pesquisa no âmbito do Juizado Especial Central do TJRN, situado na Ribeira, em Natal. Entrevistando 80 usuários de forma aleatória, a equipe de quatro alunos buscou aferir o nível de satisfação dos jurisdicionados com o serviço prestado pelo Judiciário, mensurando quesitos como tempo de espera, clareza das informações prestadas no atendimento e satisfação com o atendimento prestado. Neste ponto, a pesquisa aferiu um índice positivo de 91%, com 74,6% dos usuários declarando-se muito satisfeitos e 16,4% satisfeitos.

O Juizado Especial foi criado com o objetivo de resolver problemas de forma rápida e eficaz, buscando sempre um acordo amigável entre as partes. Seu fundamento é o acesso à justiça, a conciliação e celeridade, de forma que o cidadão pode demandar sem necessidade de advogado – em questões em que o valor da causa seja de até 20 salários mínimos – ou com o advogado, até o limite de 40 salários mínimos.

Outra marca dos Juizados é a figura do conciliador, que busca por meio de técnicas e habilidades, conduzir a formulação de um acordo amigável, de forma a evitar que o reclamante ingresse com uma ação judicial.

Estatísticas

Baseado nos princípios dos Juizados Especiais, os alunos da UNI-RN mensuraram os seguintes pontos: tempo de espera; clareza das informações prestadas no atendimento; cordialidade e qualidade do atendimento; satisfação com o atendimento prestado; receptividade: tempo de resposta a uma solicitação ou reclamação; cordialidade: agilidade e simplicidade no atendimento e presteza.

Com relação ao nível de satisfação com o tempo de espera 62% dos usuários se declaram muito satisfeitos ou satisfeitos. 16% declararam que o tempo de espera foi regular; 16,9% ficaram insatisfeitos e 4,2% classificaram a espera como ruim.

Quanto à clareza das informações, 87,1% dos usuários se declaram muito satisfeitos (67,1%) ou satisfeitos com as informações recebidas; 10% disseram que a informação foi regular e 2,9% que foi ruim.

Sobre a satisfação com a cordialidade e qualidade do atendimento, 91% se declararam muito satisfeitos (74,6%) ou satisfeitos; 6% disseram que foi regular e 3% disseram que foi ruim.

Quanto à receptividade em relação ao tempo de resposta a uma solicitação ou reclamação, 88,6% dos usuários declararam quer ficaram muito satisfeitos (55,7%) ou satisfeitos (32,9%) com o atendimento, enquanto que 8,6% disseram que foi regular e 2,9% ruim.

Finalmente, em relação à satisfação pela presteza, 70,42% dos usuários disseram-se muito satisfeitos e 23,94% afirmaram que ficaram satisfeitos. 2,82% declararam que a presteza foi regular, índice repetido na classificação “ruim”.

Notícias Relacionadas

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte - Praça Sete de Setembro, nº 34, Cidade Alta, Natal/RN, CEP 59025-300 - (84) 3616-6200