TJRN levará suas ações sociais para a comarca de Macaíba

O Núcleo de Ações e Projetos Socioambientais do Tribunal de Justiça foi até o município de Macaíba para apresentar suas iniciativas a um público de mais de 200 pessoas, composto por diretores e professores da rede pública de ensino local e gestores. Durante o evento, ocorrido no Pax Club, no Centro de Macaíba, a desembargadora Maria Zeneide Bezerra, coordenadora do Núcleo, anunciou a realização na cidade de uma edição do projeto Justiça e Escola nos dias 3 e 4 de dezembro deste ano. Além disso, Macaíba sediará a primeira edição do ano de 2014 do projeto Justiça na Praça, em março.

O prefeito de Macaíba, Fernando Cunha, firmou uma parceria com o Núcleo para levar todos os projetos sociais desenvolvidos pelo TJRN para o município. Os presentes puderam conhecer o funcionamento dos projetos Justiça na Praça, Justiça e Escola, Pai Presente, a campanha “Conheça o seu Direito”, além do trabalho desenvolvido pela Copegam.

A desembargadora Zeneide Bezerra frisou que projetos como o Justiça na Praça possibilitam o acesso do cidadão ao Judiciário, além de aproximar os magistrados da população. “Levamos uma gama de serviços para o cidadão, com dignidade, em uma praça pública. Quando o Tribunal sai de sua missão específica de julgar e parte para um viés social, está buscando levar uma maior transparência para a sociedade, além de transformar a imagem de que o Judiciário é inacessível”.

O prefeito Fernando Cunha ressaltou a importância da chegada do TJRN ao município, dizendo que quando o Judiciário se aproxima da população permite que muitos tenham conhecimento de direitos que não sabiam possuir e que a consequência disso é uma consciência maior e a busca pelo direito.

Estiveram presentes no evento, o desembargador Amaury Moura Sobrinho, a juíza Fátima Soares, coordenadora da Copegam; o juiz José Undário, coordenador do Justiça e Escola; os magistrados Walter Flor, Luiza Passo e Lillian Rejane.

Pai Presente

Aproveitando a apresentação do programa Pai Presente, que visa estimular o reconhecimento de paternidade, o gestor municipal exortou as escolas da rede no município a realizarem um levantamento entre os seus alunos para averiguar quantos não contam com o registro do pai. Dados do CNJ apontam que 1.591 crianças estão nessa situação no município, mas segundo a desembargadora Zeneide Bezerra esse número seria defasado tendo em vista a procura pelo Pai Presente. A intenção é aproveitar a estrutura do projeto para realizar um grande mutirão de reconhecimento de paternidade no município.

Transformação

Sobre o Justiça e Escola, a coordenadora do Núcleo de Ações e Projetos Socioambientais disse que o projeto traz uma verdadeira transformação nas atitudes não somente de estudantes, mas de seus familiares e dos professores.

A secretária municipal de Educação de Macaíba, Márcia Portela, disse que a formação humana dos alunos é um dos grandes desafios enfrentados atualmente nas escolas e que a metodologia utilizada pelo projeto Justiça e Escola, denominada “o caráter conta”, vem justamente ao encontro da proposta de uma formação humana, além da formação cognitiva. “Nossa intenção é desenvolver o caráter. Por meio dessa formação evitaremos muitos problemas que enfrentamos hoje”.

 

Notícias Relacionadas

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte - Praça Sete de Setembro, nº 34, Cidade Alta, Natal/RN, CEP 59025-300 - (84) 3616-6200