Atuação do Expresso Judiciário tem avaliação positiva

O Expresso Judiciário, programa do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, está conseguindo alcançar seu objetivo de reduzir o acúmulo de processos nas comarcas do interior sem juiz titular e com déficit de servidores. A avaliação foi feita pelos magistrados e servidores do Grupo de Atuação Emergencial durante reunião realizada ontem (27) com os juízes auxiliares da Presidência. Na ocasião, representantes da Coordenadoria de Planejamento Estratégico apresentaram o Project.net, uma nova ferramenta que vai auxiliar no gerenciamento de programas e projetos desenvolvidos pelo Tribunal.

Os quatro juízes do Grupo de Atuação Emergencial – Ticiana Nobre, Érika Tinôco, Virgínia Rêgo e João Afonso Pordeus - foram unânimes ao avaliar positivamente os primeiros resultados do Expresso Judiciário que está conseguindo dar vazão aos processos nas comarcas de Parelhas, São Miguel, Touros, Apodi e Extremoz.

Segundo o juiz João Afonso, o Expresso Judiciário está acontecendo dentro do que foi planejado pela equipe. “Na minha avaliação o Expresso está dando certo dentro daquilo que foi planejado e do que pode ser feito. Vejo com satisfação a atuação dos servidores e magistrados”, disse o juiz.

A magistrada Érika Tinôco ressaltou que mesmo com algumas situações inesperadas, o projeto tem apresentando bons resultados. “Foi feito um trabalho prévio nas comarcas, mas algumas apresentaram peculiaridades ou descobrimos outras deficiências quando já estávamos lá. E estamos trabalhando para resolver cada uma delas”, disse.

Expansão

Neste segundo semestre o Expresso Judiciário vai atuar nas comarcas de Pendências, Caraúbas, Nísia Floresta e Alexandria. Os magistrados avaliam a possibilidade de incluírem mais uma ou duas comarcas ao Expresso. “O processo tem tudo para crescer e estamos trabalhando para alcançar esse objetivo”, disse a magistrada Ticiana Nobre.

A juíza Virgínia Rêgo também acredita na ampliação do Expresso. “O programa está indo muito bem, vamos trabalhar para melhorar a estrutura dele e ampliar ainda mais o alcance do Expresso”, disse a juíza.

Para que seja possível a ampliação do projeto, os juízes do Grupo de Atuação Emergencial apresentaram algumas demandas como, por exemplo, o aumento na equipe de servidores que atua na formação do diagnóstico prévio das comarcas e a participação dos Juizados Especiais. “Os pedidos são pertinentes e vamos trabalhar para a implantação deles para que possamos ampliar o Expresso Judiciário, projeto que vem cumprindo o seu papel, que é reduzir o acúmulo de processos nas comarcas sem magistrados e assim melhorar cada vez mais o serviço prestado pelo Tribunal de Justiça”, disse o juiz auxiliar da Presidência, Fábio Filgueira.

Notícias Relacionadas

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte - Praça Sete de Setembro, nº 34, Cidade Alta, Natal/RN, CEP 59025-300 - (84) 3616-6200