Mão de obra de apenados reduz custo em reforma de presídio

O juiz Marcus Vinícius Pereira, da comarca de Currais Novos, antecipou, na manhã desta terça-feira (9), que as reformas do presídio do município devem ser concluídas até o fim deste mês. A reforma está sendo realizada com o trabalho dos próprios apenados. Trabalhando, eles são beneficiados com a redução da pena – a cada três dias trabalhados, ganham um dia de redução.

Segundo o juiz, em um só prédio, funcionam o Centro de Detenção Provisória (só para presos provisórios) e o Presídio para Custódia dos Apenados que cumprem pena privativa de liberdade. Mas, após a reforma, a unidade poderá receber novos 60 presos.

“A reforma no Presídio para Custódia está transcorrendo normalmente, com a utilização da mão de obra de apenados, sendo o material comprado com bloqueio de verbas públicas”, comenta o magistrado, ao apontar um montante de R$ 5,5 mil para as obras.

“A mão de obra dos apenados barateia muito o processo, economizando dinheiro do Estado e, também, contribuindo na ressocialização do preso”, acrescenta.

Por outro lado, segundo o magistrado, o Centro de Detenção Provisória continua interditado e, em razão das péssimas condições do local, hoje foram encontradas armas utilizando os ferros das paredes.

Notícias Relacionadas

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte - Praça Sete de Setembro, nº 34, Cidade Alta, Natal/RN, CEP 59025-300 - (84) 3616-6200