Vítima de ataque cardíaco terá tratamento em UTI

O juiz Geraldo Antônio da Mota, da 3ª Vara da Fazenda Pública de Natal, condenou o Estado do Rio Grande do Norte a viabilizar, em benefício de uma paciente, a sua internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), na rede hospitalar pública ou, na ausência de vagas em tais unidades, que providencie o aporte financeiro (custeio) para atendimento da paciente em unidade hospitalar da rede privada, conforme relatório médico anexado aos autos.

A autora informou que foi internada no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, em decorrência de um ataque cardíaco, ocasião em que se constatou a obstrução de várias artérias e um estado de saúde gravoso, necessitando, pois, ser transferida para uma Unidade de Terapia Intensiva, para tratamento adequado.

Alegou, contudo, que o hospital não possui leitos adequados vagos, necessitando, com urgência, ser internada em UTI, para o tratamento da sua enfermidade, diante da gravidade do seu estado de saúde. Por todos esses fatos pediu em juízo, com concessão de medida liminar, a condenação do stado do Rio Grande do Norte em promover a sua internação em Unidade de Terapia Intensiva da rede hospitalar pública ou privada.

O magistrado ressaltou na sentença que a Lei nº 8.080/90, que criou o Sistema Único de Saúde, face às exigências do parágrafo único do art. 198, da CF, reforçou a obrigação do Estado à política de gestão de aplicação de recursos mínimos para as ações e serviços públicos de saúde.

Nesse sentido, para o juiz, sendo a autora pessoa que não dispõe de condições financeiras para o procedimento médico prescrito, este, inclusive, de custo elevado, resta ao Poder Público, assumir esse ônus e cumprir o mandamento constitucional.

(Processo nº 0119217-85.2012.8.20.0001)

Notícias Relacionadas

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte - Praça 7 de Setembro, S/N, Natal/RN, 59025-300 - (84) 3616-6200