Juizado Especial de Monte Alegre realiza primeira videoconferência de conciliação

O Juizado Especial Cível da Comarca de Monte Alegre realizou sua primeira audiência de conciliação não presencial, conforme autorizado no artigo 22, § 2º, da Lei nº 9099/95, incluído recentemente pela Lei nº 13.994/2020, vigente desde 27 de abril. O ato foi realizado por videoconferência, na última quinta-feira (14), por meio do aplicativo WhatsApp, sendo conduzido pelo conciliador do Juizado, Ticiano Carlos da Fonseca Marques, e contando com a participação das partes envolvidas e do advogado da parte proponente, Isac Duarte Costa e Silva.

A nova lei passou a autorizar a conciliação não presencial conduzida pelo Juizado mediante o emprego dos recursos tecnológicos disponíveis para a transmissão de sons e imagens em tempo real, devendo o resultado da tentativa de conciliação ser reduzido a escrito com os anexos pertinentes.

A juíza Ana Paula Barbosa dos Santos Araújo Nunes, titular da Vara Única da Comarca de Monte Alegre, que autorizou a aplicação do novo dispositivo legal, espera ainda mais resultados com esta iniciativa tecnológica, considerando a atual impossibilidade de realizar as audiências de conciliação de forma presencial e a necessidade de conferir maior celeridade aos processos dos Juizados Especiais nesta época da pandemia Covid-19, ressaltando que os próximos atos serão realizados também por meio da plataforma disponibilizada pelo Conselho Nacional de Justiça, cujo cadastramento dos servidores já foi autorizado.

Inicialmente, o conciliador, do seu celular, fez videochamada ao aparelho do promovido, e, posteriormente, adicionou o do advogado proponente - que estava, em seu escritório, com o seu cliente - em grupo de videoconferência, estabelecendo-se a conexão simultânea. Em seguida, identificou-se e colheu a identificação dos envolvidos no processo. Por fim, tentou conciliar as partes, no que não obteve êxito, reduziu a termo o ocorrido, inserindo-o no sistema PJe, movimentando o processo para o próximo ato e arquivando a mídia de gravação no banco de dados do juízo (a videoconferência foi gravada com uma câmera externa).

Modernidade

Para o conciliador Ticiano Marques, a experiência foi um sucesso. “Conseguimos alcançar o objetivo esperado! O novo procedimento tem a marca da modernidade, sendo coerente com a realidade contemporânea e com tecnologia que a permeia. Inaugura uma nova fase dos Juizados Especiais, os quais sustentam essencialmente as bandeiras da oralidade, simplicidade, informalidade, economia e celeridade processual. Devemos valorizar os avanços tecnológicos e, assim como em nossa vida cotidiana, aplicá-los no processo, que é puro reflexo da vida. Mais ainda, num momento crítico como o que vivemos, de pandemia, em que a equação deve ser: preservar a saúde das pessoas, em primeiro lugar; e, ao mesmo tempo, manter o atendimento jurídico e a marcha processual. Sem dúvida alguma, estamos no caminho certo. E isso é irreversível!”.

O advogado Isac Duarte elogiou a iniciativa. “Em meio a um cenário de crise, a audiência por videoconferência é uma solução inteligente que atende a necessidade de todos os envolvidos, principalmente daqueles que têm necessidade de interferência do Judiciário para garantia de seus direitos. Acredito que é o futuro. Esse mecanismo promove celeridade, comodidade, economia processual, aspectos fundamentais do rito sumaríssimo. Concluindo, em face da experiência positiva, acredito que a ferramenta deve de estender para outras áreas, não só na audiência de conciliação do Juizado Especial, mas também para as audiências de instrução, sustentação oral, audiência de custódia, e até mesmo o atendimento direto com os juízes, ampliando o alcance dos benefícios desse instrumento para toda a população, disse o advogado.

(Processo nº 0800980-09.2019.8.20.5144)

*Com informações do Juizado Especial Cível da Comarca de Monte Alegre

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte - Praça Sete de Setembro, nº 34, Cidade Alta, Natal/RN, CEP 59025-300 - (84) 3616-6200