Integração de instituições ao PJe e Inteligência Artificial permeiam evento do Maio Tecnológico

O debate "Integração dos sistemas do PJe e os estudos em inteligência artificial dentro dos órgãos do RN" marcou o segundo evento do “Maio Tecnológico”, promovido pela Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação do Tribunal de Justiça (TJRN). A integração dos diversos organismos da Justiça quanto ao Processo Judicial Eletrôncio foi a tônica do debate, realizado na sede do Tribunal, nesta quinta-feira (23), pela manhã.

Participaram instituições relacionadas à Justiça no RN, como TJRN, OAB, TRT, Procuradoria Geral do Município de Natal e Procuradoria Geral do Estado, além do professor José Alfredo, que abordou questões relacionadas à Inteligência Artificial, um dos temas mais em voga nos dias de hoje em todo o mundo, sobretudo no ambiente corporativo.

O secretário de Tecnologia da Informação, Gerânio Gomes foi o primeiro a conduzir as palestras ao lado do juiz Marivaldo Dantas, coordenador suplente do PJe. Gerânio destaca que as palestras e o debate dão continuidade ao Maio Tecnológico, “discutimos a interopelabilidade, que consiste na integração, uma conversa entre sistemas dos órgãos de Justiça, mais especificamente do PJe, com as ferramentas que as instituições utilizam. Discutir melhorias, dificuldades, o que a gente pode fazer para avançar”.

Paulo Porto, chefe de divisão do PJe do TJRN, foi um dos palestrantes e discorreu sobre o Modelo Nacional de Interopelabilidade (MNI). “É o tema principal na palestra, a gente aborda as experiências dos órgãos e os atores que utilizam esse MNI. Debater, como forma de troca, e pensar possíveis melhorias nesse modelo”, afirmou Paulo.

Também esteve no evento o procurador geral adjunto do Estado, José Duarte Santana, “esse evento é muito importante para as Procuradorias do Município, do Estado, assim como a Defensoria e o Ministério Público. O que o Tribunal de Justiça está querendo é ouvir os seus clientes, os maiores clientes são os órgãos essenciais à Justiça”, observou Santana.

A manhã de debates foi finalizada com a apresentação do professor José Alfredo, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. “Para mim é uma honra poder falar de Inteligência Artificial que é um dos temas do momento. Nós não precisamos ter medo da Inteligência Artificial, ela vem para agregar, como tantas outras ferramentas que já existem. O objetivo é dar efetividade, aumentar a celeridade processual e promover a melhoria da gestão dos recursos humanos e tecnológicos”, acrescenta o professor.

 

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte - Praça Sete de Setembro, nº 34, Cidade Alta, Natal/RN, CEP 59025-300 - (84) 3616-6200