Celebração dos 10 Anos do Novos Rumos enfatiza defesa da reinserção de reeducandos na sociedade

Publicado em Quinta, 16 Maio 2019 12:14

Autoridades públicas, dirigentes de entidades do terceiro setor e profissionais do Direito prestigiaram, nesta quinta-feira (16), a solenidade comemorativa aos 10 Anos do Programa Novos Rumos na Execução Penal, do Tribunal de Justiça, que atende a pessoas egressas do sistema prisional do Rio Grande do Norte. Vinte e sete pessoas e instituições foram homenageadas com certificados referentes à contribuição prestada ao programa ao longo da década.

O evento ocorreu no auditório do prédio sede do Tribunal e foi aberto pelo presidente da Corte potiguar, desembargador João Rebouças. O evento contou com a presença do juiz Carlos Rezende, coordenador do Novos Rumos do Tribunal de Minas Gerais, modelo que carrega o mesmo nome e inspira o Projeto dotado no Rio Grande do Norte.

O presidente do TJRN destacou a relevância deste momento e os serviços prestados para a ressocialização de reeducandos no Estado, por meio od programa. “A importância é a recuperação do apenado, a sua reinserção no ambiente familiar, no ambiente social, ensiná-lo uma profissão, evitar reincidência. Eu acho que se nós conseguirmos recuperar só um, já é uma grande coisa. É preciso que a sociedade tenha essa consciência de que o preso também é ser humano”, frisou o dirigente do Poder Judiciário do RN.

Para o juiz coordenador do Novos Rumos, Gustavo Marinho, esses dez anos marcam um período de muito trabalho e destaca a missão do projeto, trazer para a sociedade uma nova visão e conscientização. “É uma comemoração muito importante para toda a Comunidade, porque o que nós fazemos é em prol de uma comunidade mais justa, de uma sociedade mais justa, mais solidária, em prol da dignidade do ser humano”.

Gustavo Marinho salientou que o objetivo do programa criado em 2009 é promover a transformação na vida das pessoas, que precisam e irão retornar ao convívio em sociedade. “Nós procuramos resgatar aquela pessoa e mostrar a ela que ela cometeu um erro, mas é superior aquele erro”.

Durante a solenidade, houve uma série de homenagens e entrega de certificados de reconhecimento. Uma das pessoas com atuação reconhecida foi a servidora Guiomar Veras, ligada diretamente à coordenação do Novos Rumos. Ela ressaltou que “sem dúvida esse momento é de celebração, por dez anos de luta do programa Novos Rumos, de muitos bons resultados. É de comemoração, mas é também de uma reafirmação de compromisso com o programa, de compromisso com a causa”.

Todo o momento foi de destaque à importância de um novo olhar para o sistema prisional e de busca para que este se torne cada vez mais comum a ressocialização dentro da realidade existente.

“A mim como a todas as pessoas que contribuem, que tentam contribuir, pela melhoria do sistema prisional, é um momento de profunda gratidão, uma sensação de que realmente estamos num caminho e que a orientação que o Judiciário nos dá tem sido essa luz”, observou o juiz Carlos Rezende, do TJMG.

Com larga experiência na área penal, o magistrado mineiro reafirmou a esperança que possui no modelo alternativo ao existente, “eu fico aqui com uma grande expectativa de ver o movimento das APACs aumentar no Rio Grande do Norte, que é referência para nós, para o Brasil”.