Adoção: campanha Eu Existo apresenta mais 14 crianças e adolescentes em busca de uma nova família

Raí tem 14 anos e sonha ser maestro. Aprendiz das flautas doce e transversal, quer continuar estudando música até atingir seu objetivo. Francilene, 15, gosta de estudar e quer ser advogada. Seu irmão Francikleiton, 13, prefere a engenharia robótica. “Vou ser engenheiro”, crava. Além das aspirações pelo futuro, o que mais esses adolescentes têm em comum? Todos estão em busca de uma família adotiva.

Raí, Francilene e Kleiton são participantes da campanha Eu Existo, promovida pela Corregedoria Geral de Justiça e que busca estimular a adoção de crianças e adolescentes que por motivos diversos estão fora do perfil comumente escolhido pelos possíveis adotantes.

Esse perfil idealizado dificulta a adoção, por exemplo, de adolescentes ou grupos de irmãos. Isso faz com que embora o número de pretendentes à adoção seja maior que o número de crianças e adolescentes que esperam por uma família, essa conta não feche. Dados do Cadastro Nacional de Adoção (CNA) apontam a existência de 518 pretendentes à adoção no Rio Grande do Norte, ao passo que existem atualmente 102 crianças ou adolescentes aptos para a adoção no estado. Apesar do número de pretendentes ser cinco vezes maior, crianças e jovens continuam esperando por uma nova família.

Ao mostrar e dar voz às crianças e adolescentes que estão em instituições de acolhimento no Rio Grande do Norte, a campanha da Corregedoria estimula a busca ativa de pais para eles. “O viés do nosso projeto é mudar o perfil preferencial de quem quer adotar e fazer essas crianças serem vistas”, explica a corregedora geral de Justiça, desembargadora Maria Zeneide Bezerra.

Nos vídeos produzidos pela Secretaria de Comunicação Social do Tribunal de Justiça do RN, os jovens que estão participando da campanha do Eu Existo falam um pouco de si, de seus sonhos para o futuro e do que esperam da desejada nova família.

“Eu gostaria de uma família companheira, que ficasse junto de mim, que gostasse de música também, que fossem carinhosos comigo”, deseja Raí. “A família dos meus sonhos é carinhosa, que cuide de mim, que me trate bem”, diz Francilene. “Quando a gente encontrar nossa família vai ter muita emoção, vai ser alegria e paz”, completa Kleiton.

“Nunca mostramos essas crianças a ninguém, queremos mostrar mais do que o perfil tradicional delas, para que as pessoas possam adotar pelo coração, pela emoção e pelo sentimento”, afirma a corregedora Zeneide Bezerra.

Nova etapa

Os três adolescentes fazem parte de uma nova etapa da campanha Eu Existo. Após o lançamento em maio, durante a Semana Estadual da Adoção, com a participação de oito jovens abrigados em Natal, a segunda etapa trouxe agora 14 novos participantes para o Eu Existo (sendo quatro grupos de irmãos), com crianças e adolescentes acolhidos nas comarcas de Nísia Floresta, São Gonçalo do Amarante, Caicó, Currais Novos e Santo Antônio, interiorizando a campanha.

Os depoimentos estão veiculados na página da campanha e também no canal do TJRN no YouTube. Lá, os pretendentes a adoção podem conhecer e se deixar tocar por Maxmyana e Raí (Caicó), pelos irmãos Marcelo e Emerson (Currais Novos), por Melissa, Leonardo, Lucas Gabriel e os irmãos Francikleiton e Francilene (Nísia Floresta), pelo trio de irmãos Vítor, Maria Vitória e Erick (São Gonçalo do Amarante) e pelos irmãos Joelson e Jeferson (Santo Antônio). São 14 histórias retratadas, algumas das muitas de quem aguarda pela adoção no Rio Grande do Norte e no Brasil.

Nova família

Em relação aos primeiros oito participantes, o Eu Existo alcançou um sucesso importante: Samara Barbosa Ribeiro, de 16 anos, conseguiu uma nova família, sendo a primeira participante do projeto a ser adotada. Outro participante recebeu pedido de adoção, após uma parente assistir ao seu vídeo. O processo de adoção está em tramitação.

Contudo, conseguir uma nova família pode ser um caminho cheio de percalços. Uma das crianças da primeira etapa chegou a receber um pedido de adoção e iniciou o período de convivência com a possível nova família, mas não houve desfecho e ela continua em busca de uma família.

Além de poder ver as crianças e adolescentes, a página do Eu Existo traz ainda as informações e orientações necessárias para quem deseja saber mais sobre o processo de adoção, fornecendo ainda os contatos das Varas responsáveis em todo o estado.

Apadrinhamento

Outra novidade incorporada à página do Eu Existo é o Apadrinhamento, projeto criado pela Corregedoria para viabilizar a participação de quem não quer adotar, mas deseja ajudar essas crianças e adolescentes, proporcionando ajuda material, prestacional e afetiva para ajudar na criação de um ambiente emocionalmente mais saudável. O projeto está em fase de implementação e recebendo inscrições de interessados.

São três as modalidades disponíveis para inscrição. No apadrinhamento profissional, a pessoa irá disponibilizar seu trabalho voluntariamente para atender às necessidades de crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional.

No apadrinhamento afetivo, a pessoa visita regularmente a criança ou o adolescente, podendo levá-lo para passar finais de semana, feriados ou férias escolares em sua companhia, proporcionando, assim, a vivência social e afetiva por meio da convivência familiar.

No apadrinhamento provedor, a pessoa dá suporte material ou financeiro ao jovem ou à instituição ou a família acolhedora, seja com a doação de material que supra a sua necessidade, seja com o patrocínio de cursos profissionalizantes, reforço escolar, prática esportiva e até mesmo contribuição mensal em dinheiro, material de limpeza, construção, etc.

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte - Praça 7 de Setembro, S/N, Natal/RN, 59025-300 - (84) 3616-6200