Noade realiza tarde de troca de experiências

Um círculo no centro do auditório do Fórum Varela Barca, zona Norte de Natal. Foi assim que assistentes sociais, beneficiários e coordenadores do Núcleo de Orientação e Acompanhamento aos Usuários e Dependentes Químicos de Natal, o Noade, decidiram realizar uma espécie de 'encontrão', entre quem já passou pelo projeto e quem ainda está sob o processo de recuperação.

São experiências das mais diversas e depoimentos, que foram trocados, durante a tarde desta quarta-feira, 7, na unidade judicial. Experiências como a de Diego de Andrade, que se orgulha de estar há mais de seis meses sem experimentar um cigarro de maconha.

Quando você é usuário, você prioriza a droga. Esquece outras prioridades da vida, como família”, diz o beneficiário do programa, que passou pelo tratamento há cerca de três meses.

Diego, que atualmente trabalha como garçom, reside na zona Norte e considera um ponto fundamental para os beneficiários, o fato do Núcleo ter iniciado um trabalho na zona Norte há pouco mais de um ano. “Facilita demais pra quem está em tratamento, porque poupa tempo e passagens de ônibus, por exemplo”, comenta.

O índice de recuperação daqueles que moram na zona Norte, depois do Núcleo ter inciado as ações próximo de onde alguns beneficiários residem atinge cerca de 90%”, comemora a assistente social e coordenadora do Noade, Lucineide Nascimento.

Ela comemora também casos como o do músico Cássio Ruan, vocalista de uma banda de reggae, ex-usuário de maconha e cocaína, que também passou pelo Noade, há cerca de um ano.

É preciso traçar estratégias e estar ao lado de pessoas que irão te ajudar a evitar voltar a esse caminho. É uma verdadeira guerra”, avalia o músico, que comandou também a tarde de encontro, com violão e com músicas que retratam o momento que está passando. “Como diz a música, 'é preciso saber viver'”, diz.

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte - Praça Sete de Setembro, nº 34, Cidade Alta, Natal/RN, CEP 59025-300 - (84) 3616-6200