Iniciativa piloto racionaliza o trabalho dos servidores das áreas Cível e de Família

O juiz Breno Valério explica que a Secretaria Unificada, a qual coordena, é um trabalho novo e abre novas perspectivas de atuação para o Judiciário. É um projeto piloto que o Tribunal começou por Mossoró e ela está setorizada com a possibilidade de vários servidores trabalhando organizadamente. “Há a possibilidade de uma racionalização desses servidores, de um programa direcional. Há a possibilidade de se colocar em prática gestões de processos, planejamento, gestão de pessoas, de forma que nós esperamos uma grande melhoria na produtividade com um resultado final para toda a população”, comemorou.

O juiz agradeceu ao presidente do TJ, que, ao seu ver, desde os primeiros dias de sua gestão, procurou formas de imprimir uma maior produtividade para a justiça potiguar e encontrou nesse projeto a possibilidade disso se concretizar. Agradeceu também à secretária de Administração, Flavianne Fagundes, por ter dado todo o apoio no aspecto funcional, e que, segundo ele, não mediu esforços para que a vontade da Presidência em implantar o projeto fosse concretizada.

Agradeceu ainda ao desembargador Cornélio Alves que desde os primeiros momentos conduziu todos os estudos de viabilidade para a implantação do projeto. “Ele viu dados, fez reuniões, viajou para outras cidades para ver modelos, escolher os melhores modelos, deixou tudo projetado e organizado para que isso fosse possível”, elogiou, agradecendo aos magistrados envolvidos com o projeto, bem como aos servidores.

Para o funcionamento das Secretarias Unificadas, a equipe liderada pelo servidor Saturnino Nogueira desempenhou um papel fundamental. Os servidores digitalizaram mais de quatro mil processos físicos. Ele explicou que todo esse trabalho foi necessário porque dentro de uma secretaria unificada, reunindo seis varas cíveis e três de família, ficaria difícil a organização com processos físicos, em função disso criou-se o projeto para digitalizar os processos de forma a ter uma maior organização.

Ele explicou que a digitalização traz a vantagem da tramitação do processo eletrônico no PJe ser mais célere em relação ao processo físico. Ele disse que foi formada uma equipe de servidores cedidos da Prefeitura e do Estado com terceirizados e começaram o trabalho, mesmo diante das dificuldades materiais. “Nós aceitamos o desafio da Direção do Foro, e dissemos que vamos encarar este projeto com vontade e que iremos conseguir. Então, hoje nós chegamos com pleno êxito depois de ter enfrentado enormes dificuldades nesse trabalho”, afirmou Saturnino.

 

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte - Praça 7 de Setembro, S/N, Natal/RN, 59025-300 - (84) 3616-6200